Prefeitura sanciona lei que levará água tratada a comunidades rurais

0

A Prefeitura de Águas Vermelhas sancionou uma lei de autoria própria no último dia (26), autorizando a concessão de abastecimento de água pela Companhia de Saneamento de Minas Gerais – Copasa, para as comunidades rurais de Barreiro dos Porcos e Fazenda São Domingos, localizadas nas proximidades no Distrito de Machado Mineiro. O projeto foi aprovado pela Câmara de Vereadores por unanimidade no último dia (22). A lei tem como objetivo que a Copasa assuma a operação de serviços de abastecimento de água das duas comunidades rurais, após a conclusão dos novos sistemas de abastecimento. Aproximadamente cem pessoas serão beneficiadas nas duas localidades.

De acordo com o chefe do departamento de Agricultura Jonathan Antunes, a aprovação do projeto é uma grande conquista tanto para as comunidades beneficiadas, como para a gestão municipal, uma vez que propiciará melhorias não só na saúde pública, como impulsionará a produção da agricultura e da pecuária locais, que são muito prejudicadas pela dificuldade do acesso à água nas localidades. “A realidade das comunidades é muito difícil, uma vez que a água utilizada não possui nenhum tratamento e os locais possuem muitas crianças. Sem sombra de dúvidas essas comunidades terão melhoria direta nas suas condições de vida”, afirma.

Moradora da Fazenda Barreiro dos Porcos, a lavradora e presidente da associação dos moradores Cleide Maria de Jesus comemora a aprovação do projeto e conta que as comunidades passam por momentos difíceis com relação ao consumo de água, o que coloca em questão até a situação de saúde pública dos moradores locais.  “Alguns moradores da nossa comunidade utilizam para o consumo a água da chuva armazenada em caixas de polietileno adquiridas através de um programa do Instituto de Desenvolvimento do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Idene). Porém, muitas pessoas não possuem esse armazenamento e acabam utilizando a água do rio até para beber. O que é preocupante porque é uma água suja, principalmente nas épocas de chuva e, em muitos locais, não há a possibilidade de bombeamento por razão da seca do rio”, relata.

A Copasa informou por meio de comunicado que, depois de sancionada a Lei Municipal, será necessário o cumprimento de algumas etapas do fluxo de concessões estipuladas pela Lei Federal 11.445/07 para a concretização do processo de implementação do sistema de abastecimento das duas comunidades. Cleide reitera que os moradores das comunidades estão muito satisfeitos com a aprovação do projeto de lei porque, além de água tratada, levará qualidade de vida para as comunidades beneficiadas.  “Esperamos ser contemplados o mais breve possível”.

Compartilhar:

Os comentários estão fechados.


Acessibilidade
Acessibilidade