História

O desbravamento do Norte de Minas foi feito principalmente pelas expedições que aqui chegavam em busca de ouro, instalando fazendas conhecidas como “currais”. Um desses currais, localizado às margens do Rio Mosquito (rio que ganhou este nome por ter sido encontrado em suas margens um minúsculo diamante do tamanho de um mosquito), tornou-se povoado com o nome de Água Vermelha, passando a Distrito de Rio Pardo, em 1863. Em 1880, foi integrado ao município de Salinas, passando a se chamar Águas Vermelhas. A emancipação política se deu em     30/12/1962     através da Lei n° 2.764,   tendo por sede Águas Vermelhas, ficando com os povoados de Divisa Alegre, Curral de Dentro, Machado Mineiro, Itamarati e Maristela.

A instalação do Município se deu em 1° de março de 1963, tendo como intendente municipal João dos Santos Fernandes. Só em 08 de setembro de 1963, foi empossado o primeiro prefeito do município: Isaias Galvão. Segundo o linguista Vander Lúcio de Souza, em sua dissertação de mestrado intitulada “Caminho do boi, caminho do homem: O léxico de Águas Vermelhas – Norte de Minas”:

“Os primeiros desbravadores que passaram pela região não deixaram nenhum núcleo de povoamento, mas os caminhos trilhados por eles serviram de rotas, tempos depois, aos desbravadores do nordeste do país, principalmente baianos e pernambucanos e, também, para os portugueses, oriundos do norte de Portugal, que     aportavam na Bahia com destino a Minas.    Esse caminho antigo serviu de rota para os tropeiros que transitavam com as suas boiadas em direção norte-sul do país, com o objetivo principal de abastecer as regiões mineradoras do centro-sul. Dá-se, desse modo, o início do povoamento da região, com algumas populações se fixando em torno do “caminho do boi”. (Pág. 54)

De acordo com registros existentes na região, índios da tribo tupi foram os primeiros habitantes da região Alto Rio Pardo, onde hoje se localiza o município de Águas Vermelhas. Grande parte das terras eram    pertencentes     ao Conde da Ponte que possuía uma sesmaria, da qual desmembrava lotes que eram vendidos e iam sendo desbravados pelos primeiros  moradores. As primeiras famílias a se fixarem em busca de terras cultiváveis na região foram: Gomes Quaresma, Gonçalves, Lopes, Antunes, Lyz, Rego Barros, Das Virgens.  A origem do nome da cidade se prende ao fato da cor ferruginosa das águas do córrego que banha o município

 Formação administrativa:

 Distrito criado com a denominação de Águas Vermelhas pela lei provincial nº 2145, de 29 outubro  1875 e pela lei estadual nº 2, de 14 de setembro de     1891, subordinado ao município de Salinas.  Pela lei estadual nº 843, de 07 setembro    1923, o distrito de Água Vermelha cedeu território ao distrito de Taiobeiras, transferido do município de Rio Pardo para o de Salinas. De acordo com a divisão referente ao ano de 1933, o distrito de Águas Vermelhas permanece no município de Salinas. Assim, foi mantida até 1 de julho 1960.

Em 30 de dezembro de 1962 o município de Águas Vermelhas   foi desmembrado de Salinas  pela lei estadual n° 2764, constituído do distrito sede, permanecendo até 31 de dezembro de 1971.

Pela lei estadual nº 6769, de 13-05-1976, foram criados os distritos de Curral de Dentro, Divisa Alegre e Itamarati e anexados ao município Águas Vermelhas.  Em 1 de janeiro de 1979 o município passou a ser constituído de quatro distritos: Águas Vermelhas, Curral de Dentro, Divisa Alegre e Itamarati. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1993.  Pela lei municipal nº 611, de   17 de abril de 1995 foi criado o distrito de Machado Mineiro (ex- povoado) e anexado ao município de Águas Vermelhas.  Pela lei estadual nº 12030, de 21 de dezembro de 1995,   os distritos de Curral de Dentro  e de Divisa Alegre foram desmembrados de Águas Vermelhas, passando a categoria de municípios. Em divisão territorial datada de 2001, o município passou a ser constituído de dois distritos: Itamarati e Machado Mineiro.

Gentílico: Águas-vermelhense 

Prefeitos Municipais de Águas Vermelhas:

1963 a 1966 – Isaias Galvão
1967 a 1970 – Laurentino José de Almeida
1971 a 1972 – Isaias Galvão
1973 a 1976 – Laurentino José de Almeida
1977 a 1982 – Darci Spósito
1983 a 1988 – Rosivaldo Brito de Souza
1989 a 1992 – Laurentino José de Almeida
1993 a 1996 – Rosivaldo Brito de Souza
1997 a 2000 – Valdecy José de Souza
2001 a 2004 – Rosa Nizia Antunes Spósito Brito
2005 a 2008 – Rosa Nizia Antunes Spósito Brito
2009 a 2012 – Valdecy José de Souza
2013 a 2016 – Nilson Campos
2017 a 2020 – Valdecy José de Souza


Acessibilidade
Acessibilidade