Civismo e patriotismo marcam Caminhada pela Cidadania em Águas Vermelhas

0

Na manhã desta quinta-feira (6) aconteceu a Caminhada pela Cidadania em Águas Vermelhas, reunindo diversas instituições da cidade, escolas, sociedade civil e membros da Prefeitura Municipal. Promovido com o apoio das escolas estaduais Coronel José Venâncio de Souza e Esperidião Ferreira de Oliveira e do Centro Municipal de Educação Infantil Tio Patinhas (CEMEI), o desfile com a temática cívica contou com apresentação da Fanfarra Marcial de Cachoeira de Pajeú e marcou a comemoração do dia da Independência do Brasil.

A caminhada foi iniciada na Praça Amélia Antunes Luz e seguiu até a Praça Leonízia Sousa Luz, onde ocorreram apresentações culturais de estudantes, além da exposição de representantes da educação local e do poder executivo acerca da importância da civilidade e da cidadania. O secretário Municipal de Administração Onildo Spósito destacou a importância da data a ser comemorada pelo povo brasileiro e parabenizou a iniciativa da Secretaria Municipal de Assistência Social e a organização das escolas da cidade.

De acordo com a diretora da Escola Estadual Cel. José Venâncio de Souza Roseny Pereira a caminhada teve como foco a sensibilização da população com o momento atual vivido no Brasil, a conscientização dos problemas do país e dos direitos dos cidadãos. “Esse é o desdobramento de um trabalho que já é desenvolvido dentro da sala de aula com as crianças e os adolescentes. É o momento para a promoção da retomada de preceitos fundamentais como cidadania, consciência, participação ativa e luta por direitos”, afirma.

Já a diretora do CEMEI Tio Patinhas Orezina Rodrigues explica que há muitos anos não se fazia o desfile de 7 de setembro em Águas Vermelhas e a caminhada teve como finalidade promover o resgate de valores essenciais para a sociedade como civismo e patriotismo. “Resolvemos mostrar o verdadeiro sentido do Brasil atual e despertar nas novas gerações o amor pela pátria. Trouxemos para a rua o que é ser um cidadão consciente no país em que vivemos”, destaca.

Compartilhar:

Os comentários estão fechados.


Acessibilidade
Acessibilidade